6 perguntas para entender tudo sobre Gestão Partilhada de Aprovisionamentos

Publicado em 14 Setembro 2020

Interview sur la gestion partagée des approvisionnements
Quentin Censier
Censier
Quentin
Consultant Senior Supply Chain
Categorias
Colaboração B2B

A crise da Covid-19 destacou as mudanças necessárias que precisam ser feitas na Supply Chain. Nesse contexto, e para fazer frente aos novos padrões de consumo que vão surgindo gradativamente, os sistemas de abastecimento devem ser repensados. A Gestão Partilhada de Aprovisionamentos (GMA) ou "pooling", é um dos principais sistemas de suporte à essa mudança. Este novo modo de operação torna possível satisfazer as necessidades dos consumidores cada vez mais exigentes, ao mesmo tempo que tem um impacto positivo no meio ambiente. Quais são os fundamentos da GMA? Quais são suas vantagens e desafios? Quentin Censier, especialista em Supply Chain e consultor sênior da Generix Group France, responde às nossas perguntas sobre a GMA.

O que é GMA?

A Gestão de Partilhada de Aprovisionamentos (GMA), também chamada de "pooling", é uma variação da Gestão Comum de Aprovisionamentos (GPA). A GMA consiste em reunir diversos fabricantes em um mesmo processo de aprovisionamento. Este modo de operação permitirá que fabricantes com o mesmo cliente e local de entrega de suas mercadorias trabalhem juntos em uma abordagem logística unilateral e em um único circuito.

A GMS permite realizar uma economia de escala nos custos de armazenamento, tanto para fabricantes quanto para distribuidores. Resultado: mais agilidade e eficiência na operação, mas também melhor gestão de estoque. Lógico, portanto, que os distribuidores são os primeiros a incentivar os fabricantes a escolherem a GMA.


Atenção! 
 
pooling não pode existir sem o envolvimento de um prestador de serviços de logística. Este subcontratado, que atua como elo entre o fornecedor e o distribuidor, se encarregará do escoamento dos produtos, parcial ou integralmente. ntre as principais figuras do setor, podemos citar a FM Logistic.
 

 

Como surgiu essa prática?

A GMA nasceu a partir de duas iniciativas.

  1. A plataforma de colaboração e consolidação.

    Para compreender totalmente o processo, é essencial começar com um exemplo concreto. O Carrefour queria controlar melhor seus fluxos e otimizar sua cadeia logística. O problema: excesso de estoque do lado da empresa e uma colaboração com pequenos fornecedores que têm pouco ou não conseguem administrar bem seu próprio estoque. O Carrefour, portanto, recorreu a um provedor de logística externo. Este novo processo criou uma plataforma intermediária capaz de receber mercadorias de todos os fornecedores. Porém, assim que o estoque, transportado por caminhão de abastecimento em pooling, sai da plataforma, a mercadoria passa a pertencer ao Carrefour.

    O pooling representa maiores benefícios para a plataforma e para o fornecedor, mas também para o Carrefour, cujas prateleiras são bem abastecidas, na hora certa e no lugar certo.

  2. A intervenção dos prestadores de serviços logísticos.

    Para completar o modelo, era necessário desenvolver uma entidade que tivesse um depósito e todos os recursos necessários, e que pudesse receber os produtos, armazená-los e enviá-los a um ponto de venda. O papel do provedor de logística foi encontrado.

    Players como a FM logistic queriam agregar valor real assumindo o controle do abastecimento. Graças ao sistema de pooling e sua célula de reposição, eles podem decidir o que deve ser carregado nos caminhões em nome dos fornecedores, respeitando as "regras do jogo" de cotas, das taxas de serviço e de cobertura de estoque. Além de armazenar e transportar, o provedor de logística, portanto, sabe como reabastecer.

    Por exemplo, a Colgate se separou de sua unidade de abastecimento para usar um provedor de logística externo. Os benefícios são duplos para a marca: economizar dinheiro e reduzir sua pegada de carbono ao reunir os abastecimentos.

 
 

Como funciona o pooling?

O pooling promove a frequência dos abastecimentos, garantindo assim uma melhor gestão dos estoques e da demanda. Com o pooling, vamos do modo "push" para o modo "pull".


O pooling é ainda mais fácil quando os fabricantes trabalham na mesma gama de produtos, compartilham todos ou parte de seus clientes e/ou seguem um esquema de logística semelhante. Motivo: restrições comuns de armazenamento dependendo do tipo de produto vendido (cosméticos, mantimentos, frio, etc.).


Quais produtos são mais afetados pelo sistema de pooling?

A GMA geralmente diz respeito a categorias de produtos com alto giro, os Fast-Moving Consumer Goods (FMCG). Ao permitir o agrupamento do espaço em caminhões compartilhados, o pooling impedirá que o distribuidor carregue o estoque que é caro para ele. Resultado: abastecimentos mais fluidos e frequentes que garantem ao distribuidor um melhor sortimento, mais regular e em menor quantidade.

Quais são os benefícios da GMA?

Do ponto de vista da indústria, a GMA permite reduzir os custos de logística, mas também limitar a capacidade de armazenamento nas fábricas. Na verdade, por exemplo, estamos passando de 25 plataformas e 25 viagens diferentes para uma única plataforma e uma única viagem: isso reduzirá consideravelmente a pegada de carbono.

Outra vantagem: visibilidade total, não só nas vendas, mas também nos estoques. Ao ter um melhor conhecimento dos produtos que saem e dos que sobram, o fabricante pode controlar melhor as rotações e consequentemente o sortimento.
A GMA também abre acesso a uma logística mais madura para pequenos fornecedores com recursos financeiros limitados. Esses fornecedores podem até ser referenciados por grandes marcas.

Do lado do distribuidor, o pooling torna possível manter um certo equilíbrio de poder. Com este sistema, são os fornecedores e prestadores de logística os responsáveis, desde que a mercadoria não saia da plataforma logística. O distribuidor só precisa monitorar o bom funcionamento das operações e, portanto, pode economizar na contratação de uma equipe de funcionários. O distribuidor também pode considerar ganhar pontos de venda - até dois ou três no caso de uma GMA eficiente.

Do lado do provedor de logística, além de reduzir bastante suas emissões de CO2, possui uma vantagem competitiva significativa.


Existem vários modos de operação? Quais são os mais adequados de acordo com a situação?

Existem dois tipos de GMA: GMA multipick e pooling. Dependendo das regras para encher um caminhão, também diferenciamos entre GMA de distribuição fixa e GMA de distribuição variável dependendo do tipo de produto.

Cada fabricante deve gerenciar exceções ao longo do ano. Portanto, as variáveis ​​também podem se referir a promoções e operações comerciais. Nessas condições, e quando os agentes de vendas vêm para empurrar as mercadorias, o fluxo empurrado pode substituir o fluxo puxado.

Na Páscoa, por exemplo, os distribuidores fazem grandes pedidos de chocolate aos fabricantes. O mesmo aconteceu em 2020, quando a Páscoa foi realizada durante o período de confinamento devido à Covid-19. Como consequência, os distribuidores tiveram que seguir as regras do jogo e assumir seus estoques de chocolate não vendido sem a opção de serem retirados pelo fabricante.

Seja qual for a situação, o prestador de serviço de logística deve sempre definir as regras de gestão com seus clientes com antecedência. Além disso, esteja ele envolvido em um sistema GMA em nome de seus clientes ou uma indústria que realiza um GPA simples, o provedor de serviços de logística deve ser capaz de ter soluções de gestão eficazes. Como a desenvolvida pela Generix Group, algumas dessas soluções permitem combinar fluxos padrão, quantidades fixas e fluxos de promoção.

No final das contas, a GMA é uma evolução inevitável da GPA. Para os distribuidores, esse é um ativo que permite uma economia real, mas também disponibiliza um produto na hora certa, no departamento certo e para a pessoa certa. Mais um passo, portanto, para a satisfação de clientes cada vez mais exigentes. Quer desenvolver o GMA na sua empresa?

DESCUBRA A OFERTA COLLABORATION & VISIBILITY DA GENERIX GROUP