Pular para o conteúdo principal
rio de janeiro
Por Nicolas Ramaux
on 08 Sep 2016 1:57 PM
  • Digital transformation
Em agosto de 2016, separamos um tempo para conhecer melhor Nicolas Ramaux, Diretor Geral da Generix Group Brazil, para saber mais sobre o desenvolvimento da nossa subsidiária da América Latina. 
 
Nicolas supervisiona as operações na América Latina da nossa sede em São Paulo desde 2011, quando assumiu depois de ter trabalhado anteriormente como nosso Chefe de Departamento Técnico. Seus negócios e conhecimentos técnicos, além de seus muitos anos de vida e trabalho no Brasil, deram a ele uma perspectiva aguçada do panorama do mercado e da tecnologia deste país fundamental. 
 

Como as soluções SaaS são vistas hoje por empresas líderes no Brasil?

SaaS tem sido popular no Brasil por um longo tempo. É provável que a tendência tenha se iniciado aqui na mesma época que na Europa, logo após os EUA.. A sociedade brasileira está muito à altura da tecnologia moderna, então eu diria que há ainda menos resistência psicológica a métodos inovadores aqui do que na Europa. Por exemplo, no Brasil, muitas pessoas estavam comprando telefones celulares antes mesmo de comprar linhas fixas; também, os indivíduos começaram a pagar seus impostos online aqui muito antes da prática se tornar popular na França. 
 
E para falar mais especificamente sobre SaaS: no Brasil, eles são muito confortáveis terceirizando estes tipos de soluções para ajudar seus negócios a funcionarem perfeitamente e de forma mais rentável. Eles não têm medo disso. Então, como eu vejo, SaaS é forte aqui e só vai continuar a ficar mais forte.
 

Apesar da falta de resistência à tecnologia moderna e soluções SaaS, você ainda sente que precisa educar o mercado?

Sim, nós temos de educar o mercado, mas não sobre SaaS, mais sobre o produto em si. Existem grandes empresas aqui que ainda não percebem o quanto elas realmente podem fazer para otimizar seus processos de gestão do supply chain utilizando ferramentas como as que nós oferecemos.
 
As grandes marcas aqui que são subsidiárias de grandes grupos internacionais são muito maduras na gestão do supply chain. É o mesmo que se estivéssemos lidando com uma empresa nos Estados Unidos ou na Europa. No entanto, ainda há trabalho a ser feito para mostrar às empresas locais como elas podem revolucionar a cadeia de suprimentos com ferramentas SaaS.
 

Quais são os maiores desafios a superar em seu mercado?

Hoje, o maior obstáculo que enfrentamos é a crise econômica que continua a suprimir a atividade aqui. É uma enorme recessão - percemos 3,5% do PIB no ano passado e provavelmente será o mesmo neste ano. Isso significa que as empresas estão investindo menos no crescimento geral, os consumidores não estão consumindo, varejistas estão faturando menos e pode ser complicado convencer os clientes a investir em inovação. 
 
No entanto, este é um dilema peculiar para nós, como estamos em uma posição única para usar a recessão como uma oportunidade real. Nosso modelo SaaS nos diferencia em que é a única solução do seu tipo aqui que está totalmente integrada. Nenhum dos nossos concorrentes na região é capaz de oferecer aos seus clientes o pacote completo como fazemos. Então, quando você está no meio de uma crise econômica, um modelo SaaS que abrange todas as bases de um problema específico, como a gestão do supply chain, pode ser como uma luz brilhante no fim do túnel. Nossos clientes vêem que ao investir em uma boa ferramenta de produtividade, mesmo em momentos em que é um pouco assustador investir, eles podem sobreviver à tempestade reduzindo as despesas e melhorando suas margens. Isso é feito, é claro, através da otimização, que é o que realmente é a nossa solução.
 

 

Nicolas Ramaux

Expert in Supply Chain for South American Market.