Passar para o conteúdo principal
para uma supply chain sustentável
Por Eduardo Bentes
on 30 Dec 2019 5:58 PM
  • TMS/WMS
  • E-Invoicing

A sociedade de consumo da qual cada um de nós e as organizações fazem parte, tem contribuído para o constante aumento da extração de recursos naturais, ameaçando a capacidade natural de regeneração do planeta. A produção agrícola e industrial aumenta as emissões de dióxido de carbono e acelera as alterações climáticas. O planeta está em alerta máximo!

Tal como enunciado nas recentes manifestações estudantis do movimento #Schoolstrike4climate, “A hora é de agir”. A ação, deverá ser sentida principalmente na Supply Chain, que se pretende cada vez mais ágil e optimizadora de recursos. O data mining e a inteligência artificial, permitirão num futuro breve a conceção de modelos preditivos cada vez mais adaptados às tendências de consumo, o que contribuirá para um planeamento da produção cada vez mais ajustado às necessidades, reduzindo significativamente os excedentes.

Esta evolução pode levar algum tempo a ser sentida, mas atualmente é possível colocar em prática outras medidas em prol da redução da pegada ecológica e da sustentabilidade dos negócios. Veja-se o exemplo da gestão de transportes de mercadoria e dos sistemas que permitem nos dias de hoje otimizar as cargas e as rotas, proporcionando a redução significativa dos km’s percorridos e dos recursos alocados, em benefício do ambiente e da rentabilidade das operações.

Os sistemas de gestão de armazém e de reaprovisionamento eficiente, auxiliam a gestão das necessidades e a reposição de stocks, contribuindo para a redução do número de entregas e para uma maior articulação entre os vários atores da cadeia de abastecimento. Não menos relevante, a adoção de tecnologias de desmaterialização de processos administrativos, motiva as organizações a reduzir o consumo de recursos naturais.

A fatura eletrónica é prova disso. Não só o setor privado tem vindo a reduzir a utilização do papel, como o próprio setor público iniciará, a partir de Abril de 2020, a desmaterialização total do circuito de faturação entre fornecedores e entidades públicas. Se comprovado está que a eliminação do papel na vertente de emissão, proporciona reduções de custo acima dos 70%, mais significativa é a redução, quando da implementação de processos de automatização e conferência automática de faturas de fornecedores. Esta medidas simples e de baixo investimento, não só contribuirão para a sustentabilidade dos negócios, como para a redução significativa das emissões carbónicas e o abate massivo de árvores.

Cabe a cada um de nós alterar os hábitos de consumo, e às organizações adaptarem-se a esta mudança de paradigma, se das gerações futuras queremos cuidar. Os estudantes que hoje se manifestam, continuarão a ser os ambiciosos consumidores de amanhã, cabendo por isso aos líderes políticos e aos principais decisores nas organizações, a adoção de estratégias lógicas e logisticamente sustentáveis!

Eduardo Bentes

Business Development I Alliance & Channel Manager