Medições precisas e aumento da produtividade: a prática da triangulação na eficácia logística

Publicado em 16 Julho 2020

triangulação
ramon-ferreira
Ramon
Ferreira
Responsável Comercial da Generix Group Brazil
Categorias
Supply Chain
Armazém

Você, leitor, talvez após ler o título deste artigo esteja pensando e se questionando sobre o que é este conceito que vamos abordar, a triangulação, e como e onde aplicá-lo no dia a dia das operações logísticas. Pode acreditar, iremos te surpreender.

O conceito da triangulação nada mais é do que a otimização da atividade das empilhadeiras por meio da proposta automática e em tempo real das missões – atividades logísticas – em função da prioridade destas missões em comparação com o andamento do trabalho das máquinas. Também leva em conta o posicionamento geográfico do operador no armazém em relação aos locais de partida das atividades logísticas a serem realizadas.

A explicação pode parecer complexa, mas o resultado esclarece as dúvidas. Trata-se de um conceito muito importante, pois sua colocação em prática resulta num aumento significativo de produtividade uma vez que há a diminuição da distância percorrida pelos operadores entre as atividades desenvolvidas dentro do armazém, sejam elas de armazenamento, preparação, transferência ou reabastecimento de picking.

E de que forma a triangulação é empregada no mercado logístico?

Este tipo de planejamento operacional, e vale ressaltar mais uma vez, é muito utilizado para o aumento de produtividade devido à redução das distâncias percorridas pelo operador entre duas missões, ou atividades logísticas.

É importante destacar, contudo, que para desenvolvê-lo é fundamental levar em consideração algumas premissas. É necessário, por exemplo, a declaração de referências no plano cartesiano, pois são elas que identificam geograficamente os diferentes pontos de passagem de um operador no armazém. Vale ressaltar que estas marcações podem ser, entre outras, de espaços de armazenagem, de doca de recebimento ou de docas de expedição.

É preciso, ainda, descrever os percursos utilizados pelos empilhadores nos seus movimentos. Importante salientar. Estes percursos são divididos por “segmentos”, com os pontos de partida e de chegada ligados num sentido único – ida ou volta – ou nos dois sentidos simultaneamente, ida e volta.

Um aspecto que vale ser lembrado é que nenhum dos dois pontos citados, tanto a declaração de referências no plano cartesiano quanto à descrição dos percursos utilizados, pode ser deixado em segundo plano. Isso porque, a triangulação utiliza a distância entre pontos e o sentido nesta distância entre pontos (sentido de ida ou sentido de volta) para calcular os melhores percursos e menores distâncias que um determinado operador deve percorrer entre uma missão e outra.

Aspectos que devem ser considerados, observados e atacados, caso necessário

A complexidade do conceito demanda atenção aos detalhes e trabalho profissional. Podemos observar, entretanto, que ainda existem alguns projetos não bem estruturados. São dois os erros, que se tornam gargalos operacionais, mais comuns. Um está no fato de algumas empresas acreditarem que podem implantar uma operação complexa como esta de forma simples, sem as medições corretas ou todos os pontos existentes medidos. O outro erro é a adoção de um sistema básico, não capaz de realizar os cálculos de distâncias e sentidos.

É fundamental atacar estas incorreções, realizando as medições de distância de todos os pontos do centro de distribuição. Pontos como docas, túneis, início de corredores e final de corredores, ou seja, qualquer ponto que auxilie o sistema a identificar onde inicia e termina cada etapa operacional deve ser marcado. Para isso, o ideal é solicitar ao colaborador de cada setor do armazém que realize as medições de sua área. Como exemplo, o responsável pelo recebimento medirá a distância de cada doca até cada corredor.

Além disso, é importante salientar que o sistema deve conter um manual que descreva este tipo de operação a fim de sanar as dúvidas dos clientes e explicar de forma mais clara cada etapa do cálculo e da implantação operacional.  

Consultores capacitados e sistema robusto garantem a eficácia da triangulação

E contar com ferramentas tecnológicas que suportem as mais variadas demandas da triangulação também faz parte do pacote de soluções. O sistema da Generix utiliza dentro da triangulação diversos tipos de missões de rádio, como armazenagem, desarmazenagem de paletes completos, preparação de caixas, reabastecimento e transferências.

O sistema também considera a posição do operador no armazém por meio do conhecimento da área de validação de sua última missão – local de armazenamento, local de preparação, doca, área intermediária, entre outros. Para completar, todas as distâncias X e Y podem ser adicionadas de forma separadas para cada ponto de referência.

A tecnologia da Generix também minimiza os erros. Como o sistema não utiliza um GPS, não existe a possibilidade de perda de localização. Tudo ocorre via leitura de posições, evitando, assim, os erros relacionados à posição. Os cálculos ocorrem a cada finalização de missão, fazendo com que o sistema saiba em tempo real qual a atividade logística seguinte está mais próxima do operador.

Importante reforçar. A triangulação é uma operação que possui grande eficiência e eficácia quanto ao aumento de produtividade, mas é necessário a aplicação de um sistema robusto e consultores, como os nossos, capacitados para verificar as melhores e mais rápidas formas de medição dentro do armazém e implantar de forma eficaz a solução.

Recursos
Show less resources
ficha_de_produto_generix_wms
- 01/08/2018
Ficha de produto Generix WMS

Indústrias, operadores logísticos, atacadistas ou varejistas, seja qual for o tamanho do seus armazéns,  reduzir o custo de suas operações logísticas é fundamental para rentabilidade.

Saiba mais
Mostrar todos os recursos