Pular para o conteúdo principal
API padronização Supply Chain
Por Christophe Viry
on 22 Jan 2019 5:00 AM

A Supply Chain está passando por uma profunda reestruturação. Esperada para atender aos novos desafios do varejo com seus fluxos cada vez mais acelerados, ela também deve lidar com um número crescente de atores e ferramentas que tornam a infraestrutura de TI cada vez mais complexa. Para melhorar sua eficiência, processos de compartilhamento de informações e colaboração são fundamentais… Daí a necessidade de desenvolver novas tecnologias como API e a possibilidade de padronizar seu design.
 

Novos desafios para os intervenientes da Supply Chain

Com a aceleração dos fluxos, seja física ou digital, as trocas em tempo real e a interação entre sistemas tornaram-se a norma. Os profissionais da Supply Chain devem se adaptar para melhorar a velocidade de suas trocas com seus parceiros e clientes, para que possam permanecer na corrida.

Um desafio adicional: estar aberto a mudanças contínuas, a fim de permanecer competitivo em um ecossistema cada vez mais complexo. Multiplicação de parceiros na rede, aumento nos volumes de dados a serem processados, protocolos específicos para conformidade em cada setor, mudança de ambientes econômicos e legais... Restrições são cada vez mais rigorosas para os atores da cadeia de distribuição que buscam soluções para otimizar seus métodos operacionais.

 

Multi-homing: um efeito negativo da transformação digital

Hoje vemos uma divisão real de soluções de software e ferramentas digitais. Consequência: os atores da Supply Chain devem se conectar a vários espaços digitais para consultar e recuperar as informações de que precisam ou até importar dados para suas próprias ferramentas.

Esse fenômeno é intensificado por procedimentos incompletos de transformação digital e arquiteturas híbridas que levam a um contexto real de multihoming. Mais especificamente, a multiplicidade de aplicativos, PDA, plataformas colaborativas e portais dos diferentes atores envolvidos precisam se conectar a assumir proporções que são cada vez mais difíceis de gerenciar.

E essa organização em silos tem seu conjunto de efeitos negativos. Fechado dados, entradas duplicadas, incapacidade de explorar dados para fins de otimização operacional: muitos obstáculos alinham o caminho para os atores do setor.

 

API padronizada: a solução para o problema?

A sigla API significa Application Programming Interface (Interface de Programação de Aplicativos). Este conjunto de normas e instruções de TI permite que duas plataformas de software se comuniquem entre si de maneira automatizada e configurável.

Quando se trata de serviços online e arquiteturas de microsserviço, a API é numerosa e permite que cada aplicativo de TI publique serviços que serão consumidos por outros aplicativos. Essas APIs são configuradas com componentes de terceiros e essa construção com base em montagens levanta a questão, em grande escala, da interoperabilidade da API.

Com custos de integração muito baixos, muitos APIs emergem no mercado para facilitar a interoperabilidade dos serviços, independentemente das ferramentas ou soluções que a empresa utiliza. Ao criar novas sinergias entre os atores dentro de um contexto de crescente "plataformização", eles acabam tendo um papel decisivo na Supply Chain.


Leia também: Ecossistema habilitado por plataforma: o futuro da Supply Chain?

 

Quais possibilidades de API na logística?

A primeira API padronizada projetada para logística foi recentemente revelada pela GS1 France. O objetivo é interconectar agendas digitais de plataformas logísticas e transportadoras para coordenar o agendamento - principalmente para entregas e captações.

Graças a essa API, uma operadora pode programar, a partir de seu próprio sistema de gerenciamento, captações e entregas com diferentes provedores de serviços logísticos. Ao sincronizar as operações de transporte, as operadoras podem encontrar a melhor organização para economizar tempo em suas rotas.

O retorno inicial desta API deverá chegar em breve. Até lá, outros projetos de co-construção estão em andamento para interconectar os sistemas. Objetivos:

Para GS1, que mantém os principais padrões de chaves de identificação e troca eletrônica, a padronização da API é um dado. Depois de padronizar as principais transações entre empresas (pedidos, informações sobre produtos, faturas ...), a GS1 está atualmente trabalhando na padronização da API usada no ecossistema de varejo.

 

API e EDI: uma combinação vencedora?

Combinar as oportunidades oferecidas pelo EDI e pela API padronizada oferece muitas vantagens:

 

No setor de Supply Chain, a padronização da API está se tornando essencial para sua industrialização. Fragmentação digital do setor, multiplicação de atores, recursos financeiros limitados, a determinação de impedir que determinados operadores de plataforma tenham uma posição dominante - as razões são abundantes. No entanto, a plataformização da logística é um desafio como nenhum outro. As apostas: mudar de uma solução fragmentada em diferentes espaços colaborativos para uma estrutura organizada baseada na combinação de API e EDI.

Christophe Viry

Expert in EDI, Software integration, e-invoicing…