Projetos Remotos: a eficácia comprovada de um modelo que veio para ficar

Publicado em 27 Agosto 2020

projetos-remotos
leonardo-tavares
Leonardo
Tavares
Project Consultant da Generix Group Brazil
Categorias
Supply Chain
Tendências

A necessidade da presença física para a realização de determinadas atividades hoje, por motivos já sabidos, não se faz necessária. Pelo menos por enquanto. A mudança de comportamento e a nova realidade foram recebidas com certa desconfiança muito por conta do desconhecimento. Apesar disso, os trabalhos são efetuados e os profissionais se adequaram para cumprir as entregas.

Mas para alguns setores e processos a distância nunca foi empecilho. Pelo contrário, as ações são realizadas de forma imediata e de maneira pontual, atacando a questão apresentada, solucionado gargalos e desenvolvendo estratégias. Os Projetos Remotos ganham cada vez mais espaço no dia a dia das corporações, tanto para quem fornece quanto para quem os contrata.

O modelo permite realizar uma atividade de forma não presencial no contratante do serviço solicitado. Com ele, as etapas dos processos que serão efetuadas podem ser feitas remotamente com o emprego de softwares.

Análise da necessidade e da viabilidade garante a aplicação do modelo

Antes de iniciar um trabalho assim, contudo, alguns pontos devem ser observados. O principal é identificar se o serviço contratado exige, em alguma das etapas, a presença física do profissional devido ao seu conhecimento específico. Se não, os processos podem ser iniciados.

Aqui, uma ressalva importante. Em tese, Projetos Remotos podem ser realizados por todas as empresas que trabalham com informações que podem ser compartilhadas por meio de softwares. Porém, o modelo tem mostrado resultados eficazes em companhias que atuam em determinados setores, como tecnologia, comunicação e, de maneira eficaz, em companhias de logística e naquelas que desenvolvem soluções de supply chain.

As vantagens são inúmeras e vai desde a redução dos custos e do tempo com a locomoção até o cliente até o pronto-atendimento – o fornecedor pode operar de qualquer localidade. Isso sem contar o aumento de produtividade graças à eliminação de distrações por barulhos e interrupções desnecessárias.

Avaliação estrutural como aliada de um Projeto Remoto eficiente

Analisada a necessidade e a viabilidade do modelo, o passo seguinte pede uma série de avaliações. A primeira é verificar o tipo de projeto que será desenvolvido para identificar se o cliente possui infraestrutura de comunicação que permita a troca de informações entre os processos aplicados.

Além disso, é fundamental verificar se existe um ponto focal no projeto do cliente para que haja uma troca de dados mais coerente. Ao final da avaliação, atente-se para garantir que a estrutura de internet permita a comunicação sem interrupções.

O passo a passo, na maioria das vezes, identifica alguns dos principais gargalos num Projeto Remoto, como falta de organização, problemas de comunicação e necessidade de visitas presenciais.

Há como solucionar. Para que não haja atrasos, o projeto deve possuir um escopo bem definido, mantendo todos os participantes informados sobre os problemas. Na comunicação, garanta, antes do início e durante os trabalhos, que as equipes envolvidas possuam um meio de troca estável e confiável e que as interferências sejam sempre reportadas. Já as visitas presenciais devem ter as necessidades estipuladas, evitando gastos de tempo e deslocamentos do prestador.

Equipes engajadas em um modelo cada vez mais presente no mercado

A distância às vezes pode se tornar um empecilho devido à falta de contato entre os profissionais. Para amenizar este aspecto, é fundamental o fornecedor da solução definir as prioridades e as responsabilidades de cada colaborador, entender as dificuldades apresentadas e procurar soluções para maximizar as tarefas das equipes.

No contratante, o trabalho consiste em explicar e mostrar aos funcionários a importância do serviço e os benefícios que serão agregados à produtividade.

Trata-se de um caminho sem volta. A tendência é de crescimento. Com as mudanças que vêm ocorrendo no mundo, trabalhos remotos acabam sendo mais vantajosos financeiramente, além de serem mais produtivos tanto para o cliente quanto para o fornecedor.

A eficácia das plataformas digitais na troca de informações e dados

Análises, verificações, processos robustos e equipes engajadas. Tudo isso contribui para a implementação de um excelente Projeto Remoto. Mas nada funciona se o trabalho não contar com tecnologias de ponta para suportar as etapas dos processos e gerenciar os profissionais.

Atualmente, os sistemas estão avançados, com aumento de investimentos em ferramentas para melhorar a comunicação entre as pessoas e as empresas. Softwares de comunicação garantem em tempo real o compartilhamento de conhecimento e dados.

Mas é importante definir a plataforma correta pra o negócio. Primeiro, deve-se entender a estrutura do contratante a fim de oferecer o melhor sistema, sempre entendendo as dificuldades que há no local em que será aplicado o projeto.

Alguns produtos, como Skype, Zoom e sistemas em cloud, mostram-se mais eficientes pela agilidade no compartilhamento de informações. Isso porque, as equipes podem acessar documentos ou compartilhá-los por meio de ligações ou vídeo chamadas.

Nas atividades logísticas e de supply chain, o modelo ganha espaço

As nuances que compõem os Projetos Remotos são facilmente encaixadas e se adequam às demandas das empresas que fornecem soluções logísticas e inovações quanto ao supply chain. Se considerarmos que principal função da logística é reduzir custos operacionais para entregar mais gastando menos, Projetos Remotos têm como vantagem a economia de gastos com terceiros, agregando, também, o aumento da produtividade e a geração de conhecimento.

Antes de aplicar qualquer mudança em companhias que desenvolvem estas atividades é preciso realizar determinadas verificações que transmitam confiabilidade. E no cenário atual, esse trabalho, que podemos chamar de validações, pode ser feito realizado de forma remota, garantindo que todas as possibilidades de erros sejam neutralizadas.

A adoção do modelo no setor logístico exige ainda atenção do prestador de serviço para garantir que todos os processos solicitados pelo cliente sejam atendidos. É de suma importância, então, um conhecimento minucioso dos processos internos do contratante e um escopo de projeto bem definido.