Pular para o conteúdo principal
e-commerce azienda
Por Isabelle Badoc
on 08 May 2019 1:58 PM

Com o aumento das compras feitas diretamente de fabricantes e seus marketplaces, a cadeia de valor industrial está evoluindo. Essa digitalização das vendas está na origem de uma verdadeira mudança de paradigma na indústria. Quais são os desafios do desenvolvimento de vendas on-line para fabricantes? Em que condições esta transformação será bem sucedida? Uma visão geral dos desafios enfrentados pelo e-commerce industrial.
 

Desenvolvimento de sites industriais de e-commerce: os desafios

Hoje, mais e mais fabricantes estão começando a vender diretamente aos consumidores, seja em seu site ou através de um marketplace. Esta estratégia é ainda mais relevante para os fabricantes com uma marca conhecida do público em geral. Eles podem ter sua própria loja online e oferecer vendas privadas a preços atrativos.


Website interno ou marketplace?

Para investir no e-commerce, os fabricantes têm duas soluções: criar sua própria loja on-line ou registrar-se em um marketplace. O marketplace costuma ser usado para iniciar e testar o modelo de negócios antes de embarcar em um site dedicado, às vezes mantendo os dois eixos de vendas on-line.


Logística interna ou serviços terceirizados?

Para operações de logística (armazenamento e coleta de pedidos), os fabricantes podem optar por internalizar ou terceirizar o gerenciamento. Se optarem por gerenciar a logística internamente, precisam reservar espaço próximo às áreas de armazenamento para preparar as remessas do e-commerce. Em caso de terceirização, eles podem usar os serviços de mercados como a Amazon para armazenamento, coleta de pedidos e transporte.


E os transportes?

Atenção: a entrega de pacotes não atende às mesmas restrições do transporte de mercadorias usualmente praticado na indústria. Para abastecer o varejo, os fabricantes geralmente fretam transportadoras trabalhando em lote inteiro ou ½ lote, transportando mercadorias em paletes ou em grandes embalagens. Por outro lado, com o e-commerce, as remessas envolvem, na maioria das vezes, encomendas com peso inferior a 30 kg, endereçadas diretamente ao indivíduo ou ao pacote.

Os fabricantes que começam nas vendas de e-commerce não estão necessariamente cientes de todas as restrições das vendas on-line. É por isso que muitas vezes escolhem, no lançamento, terceirizar o gerenciamento de logística para oferecer um serviço que melhor satisfaça o consumidor final.


O impacto de um serviço e-commerce industrial na operação da empresa

Uma nova organização para encontrar

Quando eles vendem seus produtos para distribuidores, os fabricantes entregam em embalagens a granel (caixas, paletes…). Para alcançar o cliente final no B2C, ele deve ser capaz de vender por unidade: uma limitação real se você souber que um pedido de e-commerce geralmente contém menos de três produtos e, principalmente, apenas um item por pacote.

Para preparar pedidos, também é necessário reorganizar as áreas de armazenamento ou planejar uma coleta regular de mercadorias para constituir uma ação dedicada ao e-commerce industrial. A preparação de pedidos também requer o gerenciamento dos diferentes tipos de embalagem e registro do produto, bem como a instalação de ferramentas de pesagem para garantir o peso das parcelas em serviços de last-mile delivery (entrega de última milha).


Margens decrescentes

Com uma média de 1,4 produtos por pacote, o tempo de preparação para as remessas por produto vendido é muito maior no B2C. Sem mencionar o apoio essencial de plataformas de vendas on-line para atrair clientes e ofertas comerciais para competir com a tradicional distribuição em massa.

Se eles vendem mais barato com custos extras de logística, pode ser difícil para os fabricantes obter margens atrativas no e-commerce. É por isso que aqueles que têm marcas fortes com produtos com poucas oportunidades recorrentes de compra são os que têm maior probabilidade de sucesso.


Recursos humanos gerenciados de forma diferente

A formação de pessoal está se tornando um problema real para os serviços de RH. Os picos sazonais de atividade exigem o uso de trabalhadores temporários que devem estar operacionais rapidamente. Neste caso, é necessário tornar a preparação das cargas unitárias o mais confiável possível, usando telas de LED para limitar os erros.


Um sistema de informação para levar em conta

A última parte da transformação, atenção especial também deve ser dada ao sistema de informação no caso de uma transição para o e-commerce industrial. Toda operadora que carrega a última milha de produtos deve estar conectada ao sistema de informações do fabricante para gerenciar mensagens EDI e processar etiquetas de envio.

A gestão de vendas de e-commerce é um projeto com forte impacto em TI. Se eles tiverem um WMS, os fabricantes também devem garantir que o sistema possa suportar essa transformação, o que nem sempre é o caso das ferramentas antigas.


Mudar para o e-commerce industrial não é uma tarefa fácil. Esses tipos de projetos exigem uma transformação profunda dos processos nas áreas de vendas, logística, recursos humanos e TI. As condições para o sucesso são: boa preparação para a mudança e um sistema flexível para se adaptar ao crescimento de pedidos ao longo do tempo. Para gerenciar essas limitações da forma mais eficaz possível, a Generix Group apoia seus clientes com sua transformação no campo do omnichannel e e-logistics. Você quer dar o próximo passo? Descubra a soluçãoGenerix Group WMS e-logistics.

 

Descubra a solução WMS e-Logistics

Isabelle Badoc

Expert in Supply Chain, Warehouse Management, Transport Management, e-commerce Logistics …