COVID-19: Estamos diante do impulso definitivo do e-commerce?

Publicado em 27 Março 2020

covid-19 impulso e-commerce
Philippe Ducellier
Philippe
Ducellier
CEO Generix Group España
Categorias
Colaboração B2B
Tendências
  • Quem não oferece omnichannel será definitivamente deixado para trás.
  • Uma fabricação mais distribuída garantirá suprimentos muito mais fortes e mais seguros

Em meio ao tsunami da Covid-19, não é fácil imaginar agora, trancado em casa, as consequências que essa pandemia terá em grande parte de nossas vidas e rotinas. Certamente a mudança que as pessoas mais pessimistas preveem em todas as áreas não ocorrerá, mas haverá coisas que mudarão, muitas delas porque já estavam aqui e a exceção as tornou visíveis e úteis para todos. Que mudanças isso pode trazer?

Modalidade de trabalho

O trabalho remoto, agora forçado pelas circunstâncias, fez milhões de pessoas descobrirem ferramentas que desconheciam e também perceberem o que já suspeitavam: que a maioria das tarefas que realizavam em suas mesas de escritório com ferramentas de comunicação e cloud também poderia ser feita em casa. As videoconferências têm várias versões que, uma vez instaladas e testadas com mais ou menos sucesso nos dias de quarentena, continuarão em computadores domésticos e laptops, abrindo possibilidades que não eram novas, mas que podem dar um salto notável a partir de agora. Possivelmente, nos acostumamos às precauções para pagamentos sem contato, por cartão ou com o aplicativo do celular e, quem sabe, o dinheiro pode estar vivendo o começo de seu fim.

Hábitos de compra online

Do ponto de vista logístico, é provável que estejamos enfrentando o impulso definitivo do e-commerce, que durante esses dias permitiu a muitas empresas, grandes e pequenas, que já possuíam canais de vendas on-line permanecerem no mercado, respirar e não desaparecer, como aconteceu com aquelas dedicadas exclusivamente às vendas presenciais. É claro que algumas das que mais apostaram nas vendas online não apenas permaneceram, mas cresceram em meio a essa situação excepcional e não apenas aos grandes monstros como a Amazon, que já está procurando contratar apenas nos EUA 100.000 pessoas a mais para lidar com pedidos. Na Espanha, embora as vendas online de moda e calçados tenham caído, alguns estudos falam de um aumento global de 55% nas vendas online, com setores que atingiram aumentos de 47%, como material escolar, produtos de jardinagem (130%) e equipamentos esportivos (191%).

No Brasil, de acordo com a Abcomm e o Movimento Compre&Confie, o setor da saúde cresceu 111%, beleza e perfumaria 83% e supermercados 80%.

Mas vamos pensar no declínio dessa curva de contágio e no retorno longo e gradual à normalidade. Será então que, quando os picos de pedidos on-line também caírem, os produtos de consumo oferecidos perderão o rótulo de "esgotados", tão comum esses dias, a distribuição retornará ao normal e os prazos de entrega, agora aumentados, retornarão ao seu ritmo normal. Nesse cenário, os compradores que descobriram o e-commerce hoje em dia verão que recebem um serviço eficaz e as vendas disparam sem dúvidas pelo canal on-line, que se tornará parte do novo normal. Quem não oferece omnichannel será definitivamente deixado para trás.

Leia também: Em 2024, o e-Commerce ultrapassará as vendas realizadas nas lojas

Fontes de suprimento

Também não devemos esquecer as lições que a crise da Covid-19 está nos dando sobre fontes de suprimento. A globalização, que incentivou muitas grandes empresas a fabricarem em um só lugar, buscando economia, mostrou sua fragilidade inevitável. Ninguém mais terá tanta certeza de que as economias oferecidas por um único mega-fabricante podem compensar o risco de que nossa única fonte de produto falhe. Uma produção ligeiramente mais distribuída não afetará necessariamente economias de escala, mas garantirá um suprimento muito mais forte e mais seguro.

Tecnologias da informação

As tecnologias logísticas terão muito a dizer. Os sistemas de informação e as ferramentas de gestão vêm convertendo armazéns em espaços muito mais eficientes há anos e serão estratégicos para a nova situação que o mundo pós-coronavírus nos trará imediatamente.

Leia também: Supply Chain: blockchain, garantia de rastreabilidade

 

Recursos
Show less resources
ficha_de_produto_generix_wms
- 01/08/2018
Ficha de produto Generix WMS

Indústrias, operadores logísticos, atacadistas ou varejistas, seja qual for o tamanho do seus armazéns,  reduzir o custo de suas operações logísticas é fundamental para rentabilidade.

Saiba mais
generix_elogistics_br
- 24/03/2020
Ficha de produto Generix e-Logistics

O e-commerce obriga o operador logístico convencional a rever cada etapa de sua cadeia de valor assegurando a rentabilidade de sua atividade. 

Saiba mais
Mostrar todos os recursos