NRF 2020: PRINCIPAIS TENDÊNCIAS DE VAREJO DO ANO

Published on 5 Fevereiro 2020

generix_group_dresse_le_bilan_du_nrf_2020_2
Isabelle_Badoc_1
BADOC
ISABELLE
Product Marketing Manager chez Generix Group
Categorias
Technology

A edição 2020 da NRF chegou ao fim e é hora dos especialistas da Generix Group detalharem as trocas que ocorreram durante o evento de três dias na cidade de Nova York. Embora nenhum avanço específico tenha se destacado durante o evento, a NRF 2020 demonstrou maturidade em relação à inovação tecnológica. Neste artigo, analisamos as inovações a serem observadas, bem como as principais tendências de varejo em andamento para o próximo ano, com um foco particular no varejo conectado fornecido por especialistas da Generix Group.

 

Robótica: protagonista da NRF 2020

Assistência para preparação e transporte

A NRF 2020 falou muito da robótica, especialmente da robótica mobile. Com os robôs já onipresentes nos armazéns, essas máquinas ajudam a reduzir o tempo de processamento, facilitando a preparação de pedidos e acelerando a automação da cadeia logística. Vários modelos de robôs são capazes de se movimentar em estruturas de armazenamento, alcançando lugares altos para levar o produto desejado a um preparador. Isso permite massificar e densificar os estoques, limitando a área de armazenamento. Uma grande vantagem quando você deseja se aproximar do consumidor, em locais onde os preços dos imóveis são altos.

Identificando rupturas lineares

Outro avanço notável no campo da robótica são as tecnologias de processamento de imagem, que agora permitem que os robôs pesquisem e analisem os locais de armazenamento de maneira linear. Isso ajuda a detectar espaços de armazenamento vazios e preços listados erroneamente. Os limites da robotização, no entanto, também são bastante aparentes: embora os robôs possam receber informações de ruptura, eles não podem usá-las para resolver o problema. Por esse motivo, a convivência entre humanos e robôs em um ponto de vendas ainda é indispensável no momento. Os recursos humanos devem permanecer disponíveis para reabastecer as linhas, até que os robôs possam garantir o reabastecimento e outras operações hoje realizadas por seres humanos.

 

Inteligência artificial como uma alavanca de desempenho para pontos de venda

A inteligência artificial é cada vez mais usada para facilitar a colocação de pedidos, por exemplo, através da pesquisa por voz e reconhecimento visual. As tecnologias de reconhecimento de imagem agora são capazes de analisar rostos e comportamentos, a fim de distinguir entre perfis de consumidores (idade, sexo etc.), e podem identificar dados essenciais para a competitividade e o desempenho do ponto de vendas. O reconhecimento facial e de movimentos, por exemplo, ajudam a analisar o comportamento do cliente nos pontos de venda. Há duas consequências para essas tecnologias ricas em dados no varejo:

  • Eles tornam possível o queue-boosting. O princípio é o seguinte: as câmeras localizadas na área de checkout indicam quando é hora de abrir um novo caixa com base em uma análise do número de pessoas e do tempo estimado de espera. É o suficiente para tornar a experiência do cliente mais positiva.
  • Permitem que o número de pessoas que viram um anúncio seja detectado e também pode identificar um cliente que entrou anteriormente na loja, quanto tempo ele passou vendo um anúncio de venda e seu valor médio de gastos. Para as equipes de marketing, isso significa que os anúncios podem ser melhor segmentados, os planos de merchandising melhor refinados, os layouts de loja melhor avaliados e a relevância do produto melhor demonstrada.

Emergência de rastreabilidade

Embora a blockchain não tenha sido a peça central da feira este ano, a rastreabilidade fez parte da discussão. O problema: refazer a jornada de um produto da produção até a disponibilidade para venda. Isso é feito usando um chip inserido na embalagem e emparelhado com uma plataforma ou aplicativo dedicado. Quando um produto presente na loja tiver um perfil digital, basta digitalizar seu código QR para exibir todo o seu rastreamento. Este é um passo importante para as tecnologias de captura de dados e inaugura uma nova era de Big Data.

Otimize a experiência do cliente em um contexto omnichannel

 

A NRF 2020 destacou o progresso do omnichannel. A partir de hoje, os pedidos são feitos de várias maneiras: por voz, telefone ou mesmo usando reconhecimento facial. Paralelamente, os pontos de vendas estão sendo transformados para armazenar menos produtos e, ao mesmo tempo, fortalecer a experiência do cliente, um tópico importante este ano.

Simplifique o processo de devolução

Hoje, quando um produto não pode ser testado na loja antes da compra, as devoluções e reembolsos exigem procedimentos muitas vezes exigentes, demorados e inconclusivos. Uma solução identificada é desenvolver locais de devolução fora da loja, por exemplo, em zonas de click-and-collect, qualquer que seja o canal de pedidos original.

Um princípio semelhante, chamado "In-and-out", tem tido muito sucesso nos Estados Unidos. É um serviço postal que permite que os clientes entreguem um pacote para serem devolvidos diretamente à sua caixa de correio. Mas esse sistema mostra rapidamente seus limites: se o novo canal cria um valor real do serviço prestado, não beneficia a marca porque não incentiva o cliente a ir à loja.

Repensando a experiência de compra

As experiências de compra originais estão presentes há vários anos e comprovaram sua importância na NRF 2020. A prova vem na forma de Scan & Go, que envolve a digitalização de um código QR em uma etiqueta de produto usando um smartphone. Os consumidores acessam o aplicativo da web da marca, onde podem pagar pelo pedido sem precisar usar um terminal de pagamento.

Os códigos QR e NFC (Near Field Communication) estão lentamente se tornando a interação de escolha entre marcas e consumidores, que podem se beneficiar das informações sobre um produto desejado diretamente em seus smartphones. No futuro, podemos imaginar que essas tecnologias redirecionarão o consumidor para um aplicativo da Web que comunicará as novidades e promoções da loja, com o objetivo final de permitir que a equipe de vendas se dedique inteiramente às vendas.

 

Durante a edição 2020 da NRF, as soluções apresentadas permitiram claramente a cobertura de todos os problemas do varejista em vários níveis: e-commerce, lojas físicas e muito mais. As inovações destacadas na feira sugerem um futuro mais inteligente e mais responsável para a supply chain, com desafios contínuos. Hoje, seu papel é se impor como um impulsionador do crescimento, porque, embora as tecnologias sejam formas eficazes de diferenciar uma marca das outras, ainda é necessário manter recursos humanos adequados.