Passar para o conteúdo principal
Supply Chain
Por Manuel Santos
on 05 Apr 2019 12:53 PM

Continuação do artigo anterior. Como se proteger destes riscos? O principio básico é alcançar a visibilidade sobre toda a Supply Chain: desde o fornecedor até ao cliente final (ou clientes do cliente), passando por todos os intervenientes. Para isso, é necessário acionar várias alavancas.

 

Reunir e partilhar as boas informações

 

A gestão de riscos operacionais e a sua antecipação baseiam-se principalmente na troca de conhecimentos e informação. As empresas preferem sistemas de receção de informações e alertas operacionais sobre os eventos que afetam a Supply Chain, tanto a nivel interno da empresa como relacionados com os fornecedores de serviços externos. Estes alertas internos são vistos como a primeira alavanca para gerir os riscos operacionais que afetam a Cadeia de Abastecimento.

 

As falhas de fornecedor

 

Uma cadeia de abastecimento pode enfrentar dois tipos de riscos :

As preocupações nos negócios internacionais

 

Elaborar um plano de continuidade de negócio


 

Antes de analisar as ameaças e de desenvolver um plano de gestão de crises eficaz, a gestão de risco operacional deverá garantir a continuidade da Cadeia de Abastecimento. Tal como vimos na página 10, não é possível suportar uma indisponibilidade prolongada dos sistemas de informação, que é considerado o primeiro risco percebido pelas empresas nas suas atividades logísticas. A tarefa de um responsável pela Cadeia de Abastecimento é reduzir ao mínimo o tempo de inatividade dos fluxos logísticos. Na ausência de um plano de continuidade, esta missão torna-se extremamente difícil.

Para ler o Ebook na integra sobre a Gestão de riscos operacionais da Supply Chain, faça o download gratuito!