Generix adquire a Keyneo para criar um líder mundial em soluções SaaS de comércio. Veja o comunicado de imprensa

Armazém, Supply Chain
February 26, 2021

Picking dinâmico, multi pickings e picking & packing: modelos similares a serviço da agilidade nas separações

No artigo anterior, falamos sobre a importância de realizar processos logísticos – mais especificamente picking com posterior packing – de maneira contínua e numa uma ordem lógica a fim de garantir a operacionalidade e a correta realização das tarefas. Agora, nosso tema está centrado em como identificar e aplicar diferentes atividades, o picking dinâmico, o multi pickings e o picking & packing.

Artigo

Antes, porém, é necessário definir o termo Picking Fixo”. Ele está relacionado ao produto que possui um endereço de picking e geralmente localizado no primeiro nível das estruturas de armazenagem, possibilitando a separação por qualquer operador do armazém. Este endereço recebe reabastecimentos constantes e é designado para produtos de alto giro (Curva A ou B). Dito isso, vamos conceituar as atividades deste artigo.

O Picking Dinâmico é aplicado para separação de produtos de baixo giro que não possuem endereço picking fixo. A premissa para este tipo de tarefa é ter um endereço livre nos níveis mais baixos sempre disponível. Assim que houver a segregação deste produto de baixo giro, o sistema criará um endereço de picking provisório para atender a demanda do pedido e depois de finalizada a separação este endereço volta a ficar disponível para outro produto.

Já no Multi Pickings o mesmo produto possui diversos picking fixos para tipos de separação diferentes. Como exemplo, citamos o “Produto A”, que pode ser separado em caixas, unidades e blisters, sendo possível criar um picking fixo para cada tipo de preparação.

Finalizamos com o Picking & Packing. Neste modelo, o operador realiza a segregação em uma embalagem diferente da caixa original do produto e pode ser caracterizado por uma separação onde o item é enviado em uma caixa personalizada para o cliente final.

Basicamente não há diferença entre estas tarefas. Já as similaridades são muitas, pois todos envolvem operadores de empilhadeira para reabastecer as posições de picking com paletes armazenados nas posições aéreas, locais onde os separadores não conseguem alcançar. De maneira geral, os endereços de picking proporcionam mais produtividade para os separadores e organização operacional, pois os produtos ficam ao alcance das mãos.

Identifique os pontos de aplicação e minimize os gargalos

A flexibilidade é característica destas tarefas de separação, sejam endereços de picking fixo ou dinâmico, mas normalmente esta configuração é aplicada para segregações em unidades de medida inferiores a um palete completo. Apesar desta aparente simplicidade, alguns pontos devem ser observados com bastante atenção. É preciso estar atendo à eficiência operacional, já que dependendo do perfil do pedido e as configurações aplicadas no sistema a produtividade pode ser sensivelmente afetada.

Por isso, após aplicar o modelo, seja ele qual for, é fundamental acompanhar as separações por meio de indicadores de produtividade, reabastecimento e inventário. O principal objetivo destas tarefas é agilizar a separação dos itens em quantidades menores, portanto, estes endereços de picking devem estar sempre reabastecidos para evitar rupturas no atendimento. Além disso, por estarem em um nível de chão e serem espaços de grande manipulação, também é preciso ficar atento ao controle de qualidade, verificando se as embalagens estão avariadas a fim de evitar que o cliente final receba um item que sofreu algum dano durante o processo de separação.

Mesmo com os cuidados, gargalos podem aparecer e o principal deles está relacionado ao espaço físico. Imagine uma empresa que possua em seu cadastro pelo menos 1.500 produtos. Destes, 500 são de giro A e B e precisariam de endereço de picking. Dependendo do perfil do centro de distribuição, o espaço físico não comportaria 500 endereços de picking fixo e alguns produtos teriam que ser separados nas posições aéreas, mesmo que em quantidades inferiores a um palete completo.

Para solucionar este aspecto, avalie a curva de venda destes produtos e identifique se realmente o item necessita ter um endereço de picking fixo ou dinâmico, aplicável apenas em produtos de alto giro e que devem estar disponíveis aos separadores de chão.

Plataformas tecnológicas na gestão e acompanhamento das tarefas

Atividades flexíveis e que demandam uma série de análises e verificações, sendo o emprego da tecnologia parte de todo o processo. A empresa deve possuir um WMS capaz de gerenciar os diferentes tipos de separação e que aplique inteligência, otimizando o fluxo operacional de acordo com cada tipo de separação.

As vantagens para as companhias que aplicam estes modelos de maneira eficiente e empregam corretamente as ferramentas de inovação são facilmente perceptíveis e vão desde a eficiência operacional, passando pela agilidade na separação até a antecipação dos prazos de entrega, o que gera satisfação do cliente.

Importante salientar, então, que as separações em endereços de picking fixo requerem mais acompanhamento em relação aos reabastecimentos e controle de qualidade dos produtos separados. Estes são pontos essenciais e que afetam diretamente a experiência do cliente, pois atrasos na entrega ou produtos avariados comprometem a imagem da empresa no mercado.

Quanto ao picking dinâmico, ele requer constante acompanhamento da equipe operacional, alinhado, ainda, com as perspectivas de venda e histórico dos itens dentro da empresa. A decisão entre aplicar o picking fixo e picking dinâmico, então, é estratégica e deve estar relacionada com os objetivos da empresa quanto à eficiência das operações e à experiência do cliente.

Procurar mais recursos

Pronto para otimizar o fluxo de mercadorias + dados em sua cadeia de suprimentos?

Trabalhe com nossa equipe para criar sua pilha ideal de software de cadeia de suprimentos e adaptá-la às suas necessidades comerciais exclusivas.